Electricidade Estática

Uma das muitas pequenas coisas que me chateiam.
Quarta-feira, 26 de Julho de 2006

Quando eu for chefe

A primeira coisa que vou avaliar num potencial empregado é a capacidade de empatia.
Muito mais importante do que os vários items num CV é o saber estar, saber falar, saber interagir e, acima de tudo, ver essas qualidades fluírem de dentro, sem esforço nem hipocrisia, e seja com quem for. Não quero ninguém a trabalhar com chefes e sub-alternos. Quero quem saiba trabalhar com pessoas.
Depois, e na conversa inicial, vou fazer o possível para que surja a necessidade de usar verbos no conjuntivo. Ao primeiro "póssamos" ou "fáçamos", passo à entrevista seguinte. Também gostava de fazer um breve ditado, se bem que isso talvez fosse demasiado insólito. Mas era só pedir para escreverem "Há dois anos que não vou à praia."
Ultrapassada esta avaliação preliminar, então sim, as habilitações e a experiência. E um doutoramento não chega, se não souber navegar na internet de olhos fechados, trabalhar com o Office e falar e escrever inglês. E nem sou uma pessoa exigente.
.:. Patricia às 13:10
link | comentar | ver comentários (11)
Sábado, 22 de Julho de 2006

Sábado à tarde

1 - Ter de ir ao hipermercado ao fim-de-semana é das piores coisinhas que me podem acontecer. Deviam estar fechados e pronto.

2 - A grande maioria das pessoas devia ser proibida de usar sandálias e/ou chinelos em público.
.:. Patricia às 19:18
link | comentar | ver comentários (3)
Quarta-feira, 19 de Julho de 2006

Depressão

Tenho colegas que trabalham com «númaros» e vão a «runiões», «assentam-se» e dizem coisas como «hádes-me dar esses dados.»

Ganham mais do que eu.
.:. Patricia às 17:22
link | comentar | ver comentários (6)
Segunda-feira, 17 de Julho de 2006

Segunda-feira de manhã

Acordar com um grito "JÁ SÃO 8 E MEIA!!!" e constatar que o despertador não tocou uma hora antes, como devia.

Queimar as torradas.

Trabalhar com suor a escorrer pelas costas abaixo, com a única ventoínha de serviço voltada para quem não precisa dela.

Bom dia.
.:. Patricia às 12:33
link | comentar | ver comentários (1)
Sexta-feira, 14 de Julho de 2006

Digam-me:

Se uma pessoa for extremamente competente naquilo que faz, apesar de ser arrogante, antipática, convencida, causadora de mau ambiente e uma presença em geral desagradável… merece o emprego que tem?

P.S. - O que eu quero mesmo saber é se, para a entidade empregadora, a extrema competência pode ser argumento suficiente para infligir sobre todos os outros funcionários a presença de tal criatura no espaço de trabalho.
.:. Patricia às 15:19
link | comentar | ver comentários (2)
Segunda-feira, 10 de Julho de 2006

Gente frustrada e mal-humorada

Como é que devem ser tratadas as gajas (sim, é mesmo gajas) que no trabalho acham que mandam, falam como quem tem estrume debaixo do nariz e acham que as leis da física e do universo não se aplicam a mim quando me passam tarefas impossíveis? (Que é para não dizer que me "mandam" fazer coisas quando são tão chefes como eu.)

Quero o meu próprio negócio. Procuram-se investidores, eu dou a competência e o bom ambiente!
.:. Patricia às 11:54
link | comentar | ver comentários (2)

Contacto

E-mail


Twitter


Facebook


Formspring.Me

Ultimamente

Primavera

Perguntem...

A propósito de nada em es...

Isto anda assim...

Mais de uma semana depois...

Isto acabou de me acontec...

A verdade.

A Prova dos Nove

A homossexualidade não é ...

A selva.

Pesquisa

 

Há mais tempo

Março 2010

Janeiro 2010

Outubro 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Todos os dias

Subscrever

Estatísticas